Unesp abre inscrições para o vestibular 2016

download (7)

 

A Universidade Estadual Paulista (Unesp) abriu nesta segunda-feira (14) o período de inscrições para o vestibular 2016. Os candidatos interessados têm até às 16h do dia 13 de outubro para fazer o cadastro, no site da Fundação Vunesp (www.vunesp.com.br). A taxa do vestibular de R$ 155,00.

As provas da Unesp são realizadas em duas fases. A primeira fase será realizada no dia 15 de novembro, em 31 cidades paulistas e ainda em Brasília (DF), Campo Grande (MS) e Uberlândia (MG). A segunda fase será aplicada nas mesmas cidades, nos dias 13 e 14 de dezembro. Em 2015, o mesmo processo seletivo registrou 101.080 candidatos.

 

Isenção da taxa do vestibular
A Unesp oferece isenção da taxa de inscrição do processo seletivo para mais de 7 mil candidatos socioeconomicamente carentes. Os pedidos já foram feitos, e o resultado será divulgado em 5 de outubro, na página da Vunesp. Os candidatos também puderam pedir redução de 50% da taxa. O resultado poderá ser conferido no site da organizadora a partir do dia 28 deste mês. Além disso, os 400 mil alunos matriculados no último ano da rede pública estadual paulista, nas Escolas Técnicas do Centro Paula Souza ou na Educação de Jovens e Adultos, terão 75% de desconto na taxa, se fizerem a inscrição.

O Resultado saiu!!!! SISU 2015 – Segundo Semestre

images (3)

Sisu

2º PROCESSO SELETIVO DE 2015

Resultado da chamada regular disponível
Para participar da lista de espera
acesse o boletim até às 23h59 de 26/06

http://sisu.mec.gov.br/

Cronograma

Esta edição do Sisu contará com 1 (uma) única chamada regular e a lista de espera.
Fique atento ao cronograma!

  • 08/06 a 10/06
    Período de inscrições
  • 15/06
    Resultado da chamada regular
  • 15/06 a 26/06
    Prazo para participar da Lista de Espera
  • 19/06 a 23/06
    Matrícula da chamada regular
  • 02/07
    Convocação dos candidatos em lista de espera pelas instituições a partir desta data

O Sistema de Seleção Unificada (SiSU) 2015/2 teve seu resultado divulgado nesta segunda-feira, 15 de junho. As matrículas devem ser realizadas em 19, 22 e 23 seguintes. Esta edição contou com 55.571 vagas em 72 instituições públicas de Ensino Superior.

Como funciona o SiSU?

Os aprovados devem lembrar que a documentação exigida, assim como os procedimentos necessários, data e horário do registro acadêmico são consultados diretamente nas universidades e institutos. As vagas remanescentes serão divulgadas entre os dias 19 e 26 de junho.

O Ministério da Educação (MEC) não divulgou um balanço final até o momento, mas em sua versão parcial emitida às 18h do último dia de inscrições, 10 de junho, foram registrados 1.095.050 inscritos e 2.110.338 inscrições.

Em balanço também divulgado no dia 10 de junho, os cursos com maior concorrência eram Medicina, Direito, Administração e Engenharia Civil.

Puderam participar estudantes que participaram do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2014 e obtiveram pontuação superior a zero na Redação.

Mais informações no Edital ou pelo telefone do MEC: 0800 616161.

 

Tire Suas Dúvidas!!!!

 

 

Resultado e Matrícula
Como saber o resultado do Sisu?

O resultado do Sisu poderá ser consultado no boletim do candidato, na página do Sisu, nas instituições participantes e na Central de Atendimento do MEC, por meio do telefone 0800-616161.

Quais são os critérios de desempate?

No caso de notas iguais, o desempate entre os candidatos será efetuado considerando-se a seguinte ordem de critérios:
Maior nota obtida na redação;
Maior nota obtida na prova de Linguagens, Códigos e Suas Tecnologias;
Maior nota obtida na prova de Matemática e suas Tecnologias;
Maior nota obtida na prova de Ciências da Natureza e suas Tecnologias;
Maior nota obtida na prova de Ciências Humanas e suas Tecnologias.

Como devo proceder com a matrícula caso seja selecionado pelo Sisu?

O candidato selecionado pelo Sisu deverá verificar, junto à instituição de ensino em que foi aprovado, o local, horário e procedimentos para matrícula. O prazo para a realização da matrícula está definido no cronograma disponível na página do Sisu.

É possível solicitar a transferência de curso?

O processo de transferência de curso em uma mesma instituição de ensino é regulamentado por cada instituição. Dessa forma, o candidato deve informar-se junto à instituição sobre as regras e os procedimentos.

Há algum auxílio (transporte, moradia etc.) para os estudantes selecionados?

Os programas de assistência estudantil são implementados diretamente pelas instituições, por isso os candidatos devem informar-se junto à universidade ou instituto para o qual deseja candidatar-se sobre os programas existentes.

Lista de Espera
Quem pode manifestar interesse em participar da Lista de Espera do Sisu?

Os candidatos não selecionados em nenhuma de suas opções na chamada regular e os candidatos selecionados em sua segunda opção, independentemente de terem efetuado a matrícula. A participação na lista de espera somente poderá ser feita na primeira opção de vaga do candidato.

Como faço para participar da Lista de Espera do Sisu?

O candidato deverá acessar o sistema durante o período especificado no cronograma e, em seu boletim, clicar no botão que corresponde à confirmação de interesse em participar da lista de espera do Sisu.

Atenção: Certifique-se de que sua manifestação foi realizada. Ao finalizar a manifestação o sistema emitirá uma mensagem de confirmação.

Como posso acompanhar a convocação da lista de espera do Sisu?

As convocações dos candidatos participantes da lista de espera do Sisu são realizadas pelas próprias instituições de ensino superior. Assim, é importante que os candidatos acompanhem as convocações da lista de espera junto à instituição na qual tenha manifestado interesse.

Após cortes, Pronatec perde 60% de vagas oferecidas para 2015

O Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) oferecerá mais de 1 milhão de vagas este ano, informou o ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro. Em relação ao ano passado, quando foram oferecidas mais de 2,5 milhões de vagas, houve redução de cerca de 60%. O programa é um dos que sofrem com o corte de R$ 9,423 bilhões do Ministério da Educação (MEC).

Questionado sobre a meta anunciada pela presidenta Dilma Rousseff durante a campanha presidencial, de mais 12 milhões de vagas no programa até o fim do segundo mandato, Janine disse que este é um ano atípico, depois de 12 anos de investimentos crescentes na educação. “Passamos de R$ 18 bilhões de orçamento do MEC, em 2002, para bem mais de R$ 100 bilhões agora. Uma vez superada essa situação e restaurada a saúde da economia, teremos condições de continuar nessa trajetória [de crescimento]”, afirmou Janine.

Em audiência pública nesta quarta-feira (10), na Câmara dos Deputados, onde falou por quatro horas sobre programas e cortes orçamentários no MEC, ele disse que um dos grandes exemplos de corte são os das obras das universidades federais. “Obras que estão avançadas não serão cortadas, porém, as obras que deveriam se iniciar, não vamos poder iniciar. Temos que administrar uma dificuldade econômica, e vamos fazer isso da melhor maneira possível. Asseguramos o custeio para universidade e institutos federais, programas de merenda, transporte e assistência escolar, o Dinheiro Direto na Escola.”

Outro programa que teve mudanças este ano foi o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). O MEC adotou regras mais rígidas tanto para os estudantes que querem financiamento quanto para as instituições privadas que fazem parte do Fies, além de limitar os financiamentos concedidos.

Na segunda-feira (8), o ministro anunciou que haverá uma segunda edição este ano, e confirmou hoje que novas condições estão sendo analisadas, como a taxa de juros, a renda familiar máxima exigida aos estudantes e a possibilidade da seleção ser feita pela nota do aluno no Exame Nacional do Ensino Médio.

Segundo Janine, o MEC negociou com as instituições privadas e houve acordo sobre todas as condições, que serão anunciadas nos próximos dias. Sobre a possibilidade de aumentar os juros e o tempo de carência, ele disse que são especulações. “[A taxa de juros] não é de 6,5%. Temos várias simulações, cada uma traz determinados efeitos, temos que integrá-las para ver como funciona, mas as principais medidas não são as econômicas, são aquelas no sentido das prioridades.”

Terão prioridade os cursos com notas 4 e 5 nas avaliações do MEC e os de engenheira, saúde e formação de professores da educação básica. Alunos das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, excluindo o Distrito Federal, também terão preferência. O Fies oferece cobertura da mensalidade de cursos em instituições privadas de ensino superior a juros de 3,4% ao ano. O estudante começa a quitar o financiamento 18 meses após a conclusão do curso.

No fim da audiência, membros da União Nacional dos Estudantes (UNE), da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) e do Programa Educação para Afrodescendentes e Carentes (Educafro) manifestaram-se contra os cortes no Orçamento. O ministro ouviu os estudantes e disse que O MEC tem forte compromisso com todas as causas apresentadas, com o ensino público de qualidade e gratuito e também com a inclusão social, especialmente dos afrodescendentes.

Enem: Candidatos pobres que pagaram inscrição serão ressarcidos

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) informou nesta quinta-feira (11) que vai devolver o dinheiro de candidatos pobres que tenham pago a taxa de inscrição no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Pelas regras do edital, esses candidatos estão isentos. O prazo para o pagamento da inscrição terminou na quarta (10).

A taxa de R$ 63 é requisito para participar do exame. Além dos participantes de baixas condições financeiras, são isentos concluintes do ensino médio de escolas públicas. Os pedidos de isenção por pobreza são analisados pelo sistema.

Segundo o Inep, os participantes pobres que tiveram o pedido negado e foram obrigados a pagar a taxa, caso seja provada sua condição de pobreza, o dinheiro será devolvido. “O valor será ressarcido em data a ser definida e informada aos interessados”, diz o Inep por meio de nota. A autarquia acrescentou que o processamento das inscrições ainda está em andamento.

De acordo com o Ministério da Educação (MEC), 3,7 milhões (43,9%) dos 8,5 milhões de inscritos declararam carência. Independentemente do pagamento, o MEC pode solicitar a qualquer momento a comprovação de pobreza. Se as insformações forem falsas, o candidato será excluído do Enem.

Para serem considerados em situação de baixa renda, os estudantes precisam ter renda familiar mensal por pessoa de até meio salário mínimo ou renda familiar mensal de até três salários mínimos. Também são isentos aqueles com renda familiar per capita igual ou inferior a um salário mínimo e meio que cursaram o ensino médio em escola da rede pública ou como bolsista integral em escola da rede privada.

Inscrições para o ProUni 2º/2015 começam em 16 de junho

As inscrições para a segunda edição de 2015 do Programa Universidade para Todos (ProUni) estarão abertas do dia 16 próximo até as 23h59 do dia 18. De acordo com as regras estabelecidas em edital publicado nesta-segunda-feira, 8, o processo prevê uma única etapa de inscrições, exclusivamente pela internet.

O programa terá duas chamadas on-line. A primeira, no dia 22 deste mês; a segunda, em 6 de julho, ambas na página do programa na internet.

Para fazer a inscrição, o candidato deve ter participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2014 e obtido no mínimo 450 pontos na média das notas. Não pode ter tirado nota zero na redação. No momento da inscrição, será necessário informar o número de inscrição e a senha usados no Enem e o Cadastro de Pessoa Física (CPF). Ao se inscrever, o candidato pode fazer até duas opções de curso e instituição.

Criado pelo governo federal em 2004 e institucionalizado pela Lei nº 11.096, de 13 de janeiro de 2005, o ProUni oferece a estudantes brasileiros de baixa renda bolsas de estudos integrais e parciais (50% da mensalidade) em instituições particulares de educação superior que ofereçam cursos de graduação e sequenciais de formação específica. Podem fazer a inscrição os egressos do ensino médio da rede pública ou da rede particular, estes na condição de bolsistas integrais da própria escola.

Para concorrer à bolsa integral, o candidato deve comprovar renda familiar por pessoa de até um salário mínimo e meio. Para as bolsas parciais, a renda familiar deve ser de até três salários mínimos por pessoa.

Estão dispensados dos requisitos de renda os professores em efetivo exercício do magistério da educação básica integrantes de quadro de pessoal permanente de instituição pública. Eles concorrem exclusivamente a bolsas para cursos de licenciatura.

O cronograma e demais procedimentos relativos ao processo seletivo deste segundo semestre constam do Edital nº 18/2015 da Secretaria de Educação Superior (Sesu) do Ministério da Educação, publicado no Diário Oficial da União desta segunda-feira, 8. As inscrições devem ser feitas na página do ProUni na internet.

 

Como calcular a renda familiar por pessoa?

A renda familiar por pessoa é calculada somando-se a renda bruta dos componentes do grupo familiar e dividindo-se pelo número de pessoas que formam este grupo familiar. Se o resultado for até um salário mínimo e meio, o estudante poderá concorrer a uma bolsa integral. Se o resultado for maior que um salário mínimo e meio e menor ou igual a três salários mínimos, o estudante poderá concorrer a uma bolsa parcial de 50%.

Entende-se como grupo familiar a unidade nuclear composta por uma ou mais pessoas, eventualmente ampliada por outras pessoas que contribuam para o rendimento ou tenham suas despesas atendidas por aquela unidade familiar, todas moradoras em um mesmo domicílio.

O Prouni reserva cotas para afrodescendentes, indígenas e para as pessoas com deficiência?

Sim, o Prouni reserva bolsas às pessoas com deficiência e aos autodeclarados indígenas, pardos ou pretos. O percentual de bolsas destinadas aos cotistas é igual àquele de cidadãos pretos, pardos e indígenas, em cada Estado, segundo o último censo do IBGE. Vale lembrar que o candidato cotista também deve se enquadrar nos demais critérios de seleção do Prouni.

Fonte: http://prouniportal.mec.gov.br/

Inscritos no Sisu superam marca de 1 milhão

O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) ultrapassou 1 milhão de inscritos, segundo o Ministério da Educação (MEC). Esta quarta-feira (10/06/15) foi o último dia do prazo para fazer a inscrição no site do programa. Os estudantes também podem consultar na página as últimas notas de corte de cada curso, divulgadas às 8h. Esta edição vai oferecer 55.576 vagas em 72 instituições públicas. No meio do ano passado, o número de inscritos alcançou recorde de 1.214.259.

O Sisu seleciona estudantes para vagas no ensino superior público com base nas notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Para participar do Sisu, o candidato precisa ter feito o Enem de 2014 e não ter tirado zero na redação.

O resultado será divulgado no dia 15 deste mês, em uma única chamada. A matrícula deverá ser feita na instituição de ensino, nos dias 19, 22 e 23.No momento da inscrição, o candidato deve escolher, por ordem de preferência, até duas opções entre as vagas ofertadas pelas instituições participantes do Sisu.

Lei de cotas

Também deve definir se deseja concorrer às vagas de ampla concorrência ou às vagas reservadas de acordo com a Lei de Cotas (Lei 12.711/2012). As cotas são destinadas a estudantes que cursaram integralmente o ensino médio em escolas públicas. Nesta edição do Sisu, pelo menos 37,5% das vagas serão para cotistas.

Durante o período de inscrição, uma vez por dia, o Sisu calcula a nota de corte que é a menor pontuação para ficar entre os possíveis selecionados para cada curso, com base no número de vagas disponíveis e no total dos candidatos inscritos, por modalidade de concorrência. A nota é apenas uma referência e não uma garantia de que o estudante será selecionado. Até o fim do período de inscrição o candidato pode mudar de opção de curso.

Quem não conseguir uma vaga na chamada regular pode participar da lista de espera inscrevendo-se na página do Sisu, na internet, entre os dias 15 e 26 de junho. Em 2014, cerca de 6,2 milhões de candidatos fizeram o Enem em todo o País.

Para acompanhar as inscrições, o MEC lançou o aplicativo gratuito do Sisu que pode ser baixado nas lojas do Android e do WindowsPhone ou pela página de dispositivos móveis do Sisu.

Fonte:

Agência Brasil

Inscrição para Enem termina com 7,8 milhões de candidatos

As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2015 terminaram nesta sexta-feira (5) com ao menos 7,8 milhões de candidatos, segundo balanço feito até as 20 horas e divulgado no site do Ministério da Educação (MEC). O prazo expirou às 23h59. Já o pagamento da taxa de inscrição, no valor de R$ 63, deve ser sido feito até as 21h59 da quarta-feira (10/06/15). Estão isentos os concluintes do ensino médio em 2015 matriculados em escolas da rede pública e as pessoas que se declararem carentes, ainda de acordo com o MEC.

A nota do Enem é usada como critério de acesso à educação superior por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que oferece vagas em 115 instituições públicas, e do Programa Universidade para Todos (ProUni). A participação na prova, diz o MEC, é ainda requisito para receber o benefício do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), participar do programa Ciência sem Fronteiras ou ingressar em vagas gratuitas dos cursos técnicos oferecidos pelo Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec).

MEC vai investigar candidatos que se declararam carentes no Enem

O Ministério da Educação quer olhar com lupa a relação de candidatos que se autodeclararam baixa renda para a próxima edição do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio).

A isenção da taxa é garantida a concluintes do ensino médio da rede pública e pessoas de baixa renda. A grande maioria dos isentos se concentra nesse segundo grupo, formado a partir de declaração do próprio candidato.

“Não queremos caça às bruxas, mas queremos mostrar que quem quiser fraudar tem alta chance de ser pego”, disse  Chico Soares, presidente do Inep (órgão responsável pelo exame).

Na última edição do Enem, dos 8,7 milhões de inscritos, 6,4 milhões não pagaram o valor da taxa. Desse grupo, 77,7% declararam carência.

Assim como em anos anteriores, o edital do Enem 2015 prevê a possibilidade de o governo solicitar “documentos comprobatórios da situação de carência”, mas Soares pondera que, no passado, o instituto não tinha recursos de que hoje dispõe.

Cruzamento

Um exemplo é o cruzamento de CPF do candidato com o de alunos inscritos no censo da educação básica, realizado anualmente a partir de informações prestadas por escolas de todo o país.

De acordo com o edital, o estudante que prestar informação falsa pode ser eliminado do exame. A intenção do Inep é fazer o cruzamento de dados a partir do fechamento das inscrições, sexta (05/06/15), até a data do exame, agendado para os dias 24 e 25 de outubro.

O pente fino na lista de candidatos acontece num momento em que a pasta teve seu orçamento reduzido (corte de R$ 9,4 bilhões) e decidiu reajustar a taxa de inscrição no Enem, agora de R$ 63 (antes era R$ 35).

“O exame não é feito para dar lucro. O governo tem clareza que é um recurso que tem que ser gasto, mas não é razoável [burlar as regras]”, afirma Chico Soares.

A nota do Enem é fundamental para quem quiser pleitear o crédito estudantil pelo Fies (Fundo de Financiamento Estudantil). O candidato precisa obter nota mínima de 450 pontos no exame- e para entrar em na universidade por meio do Sisu (Sistema de Seleção Unificada), que oferece vagas em 115 instituições públicas.

A prova também é obrigatória para entrar no programa Ciência sem Fronteiras ou Sisutec (Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológico).