Resumo: Organização dos seres vivos

ORGANIZAÇÃO DOS SERES VIVOS: CLASSIFICAÇÃO, REINOS, VÍRUS.

Os seres vivos são agrupados em categorias levando-se em conta semelhanças ou diferenças, comparáveis em diversos níveis. O atual sistema de classificação se baseia nos princípios estabelecidos por Lineu (1758).

Categorias taxonômicas (conjuntos e subconjuntos) em ordem decrescente:

Reino, Filo, Classe, Ordem, Família, Gênero e Espécie.

Espécie: conjunto de seres semelhantes que, quando intercruzados (através da reprodução sexuada), produzem descendentes férteis.

Híbrido interespecífico: é estéril. Ex.: mula (cavalo X jumento)

Critérios para a classificação dos seres vivos em Reinos:

1. Unicelular ou Pluricelular. Quando pluricelular: sem tecidos ou com tecidos. (Tecido: conjunto de células de mesma origem, que formam um grupo de trabalho.)

2. Procarionte ou Eucarionte. Procarionte: indivíduo cuja célula não tem carioteca, nem organelas membranosas. Eucarionte: indivíduo cuja célula tem carioteca e organelas membranosas.

3. Autótrofo ou Heterótrofo. Autótrofo: indivíduo que produz seu alimento (“alimento” são as substâncias orgânicas que o ser vivo necessita, como proteínas, carboidratos etc.). O heterótrofo deve usar o alimento produzido por autótrofos (direta ou indiretamente).

Regras de nomenclatura:

O sistema atual de nomenclatura científica das espécies de seres vivos segue também o sistema de Lineu.

1. nomes escritos em latim.

2. as denominações devem ser binomiais (devem ter duas palavras):

a 1ª representa o gênero.

as duas palavras em conjunto representam o nome da espécie.

3. a primeira palavra deve ter inicial maiúscula e a segunda palavra deve ter inicial minúscula.

4. o nome científico deve estar destacado do texto, através de grifo, itálico ou de um tipo diferente de letra.

Os Cinco Reinos (sistema mais usado):

Características gerais dos cinco reinos em que os seres vivos podem ser divididos:

Reinos Organização Celular Exemplos No de células Forma de nutrição
Reino Monera Procariotes Bactérias unicelulares Algumas autótrofas, maioria heterótrofas
Cianofíceas unicelulares Todas autótrofas
Reino Protista Eucariontes Protozoários unicelulares heterótrofos
Algas eucariontes unicelulares ou pluricelulares sem tecido autótrofas
Reino Fungi Eucariontes lêvedos unicelulares heterótrofos, decompositores
Cogumelos e bolores pluricelulares com tecidos
Reino Metafita ou Plantae Eucariontes Plantas “superiores” pluricelulares com tecidos autótrofas
Reino Metazoa ou animal Eucariontes Animais  “superiores” pluricelulares com tecidos heterótrofos

 

Características Gerais dos Seres Vivos

Para ser considerado um ser vivo, esse tem que apresentar certas características:

  • Ser constituído de célula;
  • buscar energia para sobreviver;
  • responder a estímulos do meio;
  • se reproduzir;
  • evoluir.

De acordo com o número de células podem ser divididas em:

  • Unicelulares – Bactérias, cianofitas, protozoários, algas unicelulares e leveduras.
  • Pluricelulares – os demais seres vivos.

De acordo com a organização estrutural, as células são divididas em:

  • Células Procariontes
  • Células Eucariontes

Células Procariontes

As células procariontes ou procarióticas, também chamadas de protocélulas, são muito diferentes das eucariontes. A sua principal característica é a ausência de carioteca individualizando o núcleo celular, pela ausência de alguns organelas e pelo pequeno tamanho que se acredita que se deve ao fato de não possuírem compartimentos membranosos originados por evaginação ou invaginação. Também possuem DNA na forma de um anel não-associado a proteínas (como acontece nas células eucarióticas, nas quais o DNA se dispõe em filamentos espiralados e associados à histonas).

Estas células são desprovidas de mitocôndrias, plastídeos, complexo de Golgi, retículo endoplasmático e sobretudo cariomembrana o que faz com que o DNA fique disperso no citoplasma.

A este grupo pertencem seres unicelulares ou coloniais:

  • Bactérias
  • Cianofitas (algas cianofíceas, algas azuis ou ainda Cyanobacteria)
  • PPLO (“pleuro-pneumonia like organisms”) ou Micoplasmas

Células incompletas

As bactérias dos grupos das rickettsias e das clamídias são muito pequenas, sendo denominadas células incompletas por não apresentarem capacidade de auto-duplicação independente da colaboração de outras células, isto é, só proliferarem no interior de outras células completas, sendo, portanto, parasitas intracelulares obrigatórios.

Diferente dos vírus por apresentarem:

  • conjuntamente DNA e RNA;
  • parte da máquina de síntese celular necessária para reproduzirem-se;
  • uma membrana semipermeável, através da qual realizam as trocas com o meio envolvente.

Obs.: já foram encontrados vírus com DNA, adenovirus, e RNA, retrovírus, no entanto são raros, os vírus que possuem DNA e RNA simultaneamente.

Células Eucariontes

As células eucariontes ou eucarióticas, também chamadas de eucélulas, são mais complexas que as procariontes. Possuem membrana nuclear individualizada e vários tipos de organelas. A maioria dos animais e plantas a que estamos habituados são dotados deste tipo de células.

É altamente provável que estas células tenham surgido por um processo de aperfeiçoamento contínuo das células procariontes.

Não é possível avaliar com precisão quanto tempo a célula “primitiva” levou para sofrer aperfeiçoamentos na sua estrutura até originar o modelo que hoje se repete na imensa maioria das células, mas é provável que tenha demorado muitos milhões de anos. Acredita-se que a célula “primitiva” tivesse sido bem pequena e para que sua fisiologia estivesse melhor adequada à relação tamanho × funcionamento era necessário que crescesse.

Acredita-se que a membrana da célula “primitiva” tenha emitido internamente prolongamentos ou invaginações da sua superfície, os quais se multiplicaram, adquiriram complexidade crescente, conglomeraram-se ao redor do bloco inicial até o ponto de formarem a intrincada malha do retículo endoplasmático. Dali ela teria sofrido outros processos de dobramentos e originou outras estruturas intracelulares como o complexo de Golgi, vacúolos, lisossomos e outras.

Quanto aos cloroplastos (e outros plastídeos) e mitocôndrias, atualmente há uma corrente de cientistas que acreditam que a melhor teoria que explica a existência destes orgânulos é a Teoria da Endossimbiose, segundo a qual um ser com uma célula maior possuía dentro de sí uma célula menor mas com melhores características, fornecendo um refúgio à menor e esta a capacidade de fotossintetizar ou de sintetizar proteínas com interesse para a outra.

 

Os niveis de organização das Células Eucariotas

Nesse grupo encontram-se:

  • Células Vegetais (com cloroplastos e com parede celular; normalmente, apenas, um grande vacúolo central)
  • Células Animais (sem cloroplastos e sem parede celular; vários pequenos vacúolos)

Celula animal

A palavra célula foi usada pela 1° vez em 1665, pelo inglês Robert Hooke(1635-1703). Com um microscópio muito simples ele observou pedaços de cortiça, e ele percebeu que ela era formada por compartimentos vazios que ele chamou de células.

Célula animal é uma célula que se pode encontrar nos animais e que se distingue da célula vegetal pela ausência de parede celular e de plastos.Possui flagelo, o que não é comum nas células vegetais.

  • Célula Animal (sem cloroplastos e sem parede celular; vários pequenos vacúolos)


Metabolismo –Orgânulos:

  1. Nucléolo: armazena carga genética
  2. Núcleo celular: cromossomos do DNA
  3. Ribossomos: faz a síntese de Proteínas
  4. Vesículas
  5. Ergastoplasma ou Retículo endoplasmático rugoso (RER): transporte de proteínas ( há ribossomos grudados nele )
  6. Complexo de Golgi armazena e libera as proteínas
  7. Microtúbulos
  8. Retículo Endoplasmático Liso: transporte de proteínas
  9. Mitocôndrias Respiração
  10. Vacúolo: existem em celula animal,porém são muito maiores na celula vegetal,serve como reserva energética
  11. Citoplasma
  12. Lisossomas: digestão
  13. Centríolos: divisão celular

 

A célula vegetal

A célula vegetal é semelhante à célula animal mas contém algumas peculiaridades como a parede celular e os cloroplastos. Está dividida em: Componentes protoplasmáticos que são um composto deorganelas celulares e outras estruturas que sejam ativas no metabolismo celular. Inclui o núcleo, retículo endoplasmático, citoplasma, ribossomos, complexo de Golgi, mitocôndrias, lisossomos e plastos ecomponentes não protoplasmáticos são os resíduos do metabolismo celular ou substâncias de armazenamento. Inclui vacúolos, parede celular e substâncias ergástricas.

Vacúolo

É uma cavidade delimitada por uma membrana (tonoplasto) e contém o suco celular que é composto desubstâncias ergástricas e algumas em células podem conter pigmentos como as flavonas e antocianinas. Células jovens geralmente têm vários vacúolos pequenos que ao longo de seu desenvolvimento se fundem em um mega vacúolo. Eles atuam na regulação osmótica expulsando água da célula ou podem se fundir aos lisossomos e participar do processo de digestão intracelular. Origina-se do complexo de golgi.

Substâncias ergástricas

São substâncias de reserva ou resíduos, produtos, do metabolismo celular.

  • Amido: são partículas sólidas com formas variadas, pode ser encontrado no cloroplasto ou no leucoplasto. Formam grãos com muitas camadas centradas em um ponto chamado hilo.
  • Proteína: as proteínas ergástricas são material de reserva e se apresentam no endosperma de muitas sementes em forma de grãos de aleurona.
  • Lipídios: pode ocorrer em forma de óleo ou gordura se for para armazenamento ou em forma de terpenos que são produtos finais como óleos essenciais e resinas.
  • Taninos: um grupo de compostos fenólicos que podem ficar em vários órgãos vegetais (se acumulam no vacúolos) e podem impregnar a parede celular

Plasto

É originado do protoplastídeo e tem configurações diferentes, com várias especialidades: Cloroplastos,são plastos de clorofila, responsável pela fotossíntese. Só são encontrados em células expostas à luz. É formado por uma membrana externa e uma interna que sofre invaginações formando sacos empilhados, os tilacóides. Alguns se dispõem uns sobre os outros formando uma pilha chamada granum (plural =grana). A matriz interna é chamada de estroma e pode conter granululos de amido espalhados por ele. São derivados dos cromoplastos. Cloroplastos possuem seu próprio DNA e ribossomos, são relativamente independentes do resto da célula (principalmente do núcleo). Cromoplastos São plastos coloridos (contém pigmentos) de estrutura irregular que dão origem aos cloroplastos. Seus principais pigmentos são os carotenóides (coloração da cenoura) e xantofilas que dão coloração para flores e frutos. LeucoplastosSão incolores e servem para acumular substâncias diversas como proteínas, amidos e lipídios. Dependendo da substância que acumulam, recebem nomes diferentes: oleoplastos, proteoplastos, amiloplastos, etc.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s